terça-feira, 1 de setembro de 2009

Quinta-feira, 27 de agosto de 2009.
Rotina: Organização dos alunos para o lanche e chamada.
Rodinha: organizar com os alunos uma encenação das travessuras do Saci, a partir de uma historinha: ver personagens, vestimenta e cenário.

Atividade 1: ler a historinha e após escolher personagens.
As travessuras de Saci.
Era uma vez um menino moreninho, que usava um gorrinho e um shortinho vermelhinho e estava sempre pitando seu cachimbinho. Seu nome era Saci-Pererê, (aluno: Erick) e com apenas a perna esquerda ele vinha pulando e dando saltos rapidamente.
(entra um aluno representando o Saci, pulando e dando giros, e sai de cena)
Saci morava na floresta perto de uma cidadezinha, quando aparecia era só para atazanar a vida dos moradores e dos animais.
Um dia Vovó Mariana estava fazendo aquele bolo de milho bem gostoso.
(entra a aluna Mariana com uma bacia e uma colher de pau)
Quando de repente entrou pela janela o Saci-Pererê dando aquele susto na Vovó Mariana, que deixou tudo cair no chão. E o Saci saiu correndo.
(entra Saci assustando a Vovó)
Encontrou umas meninas brincando de roda, rapidamente se escondeu.
(alunas brincando de roda: Eduarda, Isabella, Brenda)
Quando as meninas estavam bem distraídas, adivinham o que aconteceu? O Saci se envolveu, rodopiando, gritando assustando a meninada, que saíram correndo com medo do Saci. O Saci só queria rir.
Saci continuou sua caminhada quando de repente avistou a galinhada, não deu outra foi até o galinheiro e assustou as galinhas, (alunos vestidos de galinha: Yhama e Kénia) e quando ia mexer em seus ninhos, ufa!!! Até que em fim, Seu João (aluno representando: João) apareceu e o espantou, Saci saiu correndo e dando gargalhadas.
Saci já estava cansado de tantas travessuras, e resolveu ir embora quando avistou uns meninos tirando uma soneca em baixo de uma árvore. (alunos: Brizola, Antônio e Ariovaldo).
Saci foi chegando perto, chegando perto, e encheu os meninos de cócegas e saiu pulando e rodopiando mata dentro.
É o Saci só vem atazanar as pessoas, e se alguém quiser pegá-lo só há um jeito, é esperá-lo dar o rodopio e jogar uma rede sobre ele. Saci ficará preso daí é só enfiar a mão com cuidado, e retirar o seu gorrinho vermelho, que é mágico. Assim sem o gorrinho ele não conseguirá mais rodopiar rápido e fazer suas travessuras.

Aline Pires Couto.


Atividade 2: ensaiar o teatrinho.
Atividade 3: continuação da construção do boneco Saci-Pererê.
Atividade 4: brincadeira livre no pátio.

Sexta-feira, 28 de agosto de 2009.
Rotina: Organização dos alunos para o lanche e chamada.
Rodinha: conversar sobre a apresentação na escola, da peça de teatrinho.
Atividade 1: confecção das assas das galinhazinhas e dos bicos, gorrinho e o shortinho e o cachimbinho do saci.
Atividade 2: Ensaio da peça de teatrinho “As aventuras de Saci”.
Brinquedo livre na sala.

Segunda-feira, 31 de agosto de 2009.
Rotina: Organização dos alunos para o lanche e chamada.
Rodinha: comentar com os alunos sobre músicas infantis antigas, convidá-los a fazer um livro gigante de músicas.

Atividade 1: construção do livro gigante de músicas.
Distribuir para cada aluno, uma página do livro com músicas, estes terão que ilustrá-las e colori-las.
Neste livro terá músicas infantis antigas e novas que os alunos mais gostam de cantar.
Após iremos montar o livro, confeccionando uma capa a ele. Este ficará fixado na parede da sala, para manuseio e escolha de músicas a ser cantada durante o cada dia.


As músicas que estarão no livro:

A CANOA VIROU
A canoa virou
Por deixá-la virar,
Foi por causa do Pedrinho (?).
Que não soube remar.

Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar,
Tirava o Pedrinho (?)
Do fundo do mar.

Atirei o pau no gato
Atirei o pau no gato-to,
Mas o gato-to não mor reu-reu-reu.
Dona Chica-ca admirou-se-se
Do berro, do berro que o gato deu: Miau!

Caranguejo
Caranguejo não é peixe
Caranguejo peixe é
Eu já vi o caranguejo namorando uma mulher
Ora, palma, palma, palma
Ora, pé, pé, pé
Ora, roda, roda, roda
Caranguejo peixe é.



Ciranda-cirandinha
Ciranda, cirandinha,
Vamos todos cirandar.
Vamos dar a meia-volta,
Volta e meia vamos dar
O anel que tu me deste
Era vidro e se quebrou.
O amor que tu me tinhas
Era pouco e se acabou
Por isso, dona Ana,
Entre dentro dessa roda,
Diga um verso bem bonito,
Diga adeus e vá-se embora.


Marcha, soldado
Marcha, soldado,
Cabeça de papel!
Quem não marchar direito
Vai preso pro quartel.
O quartel pegou fogo
Policia deu sinal
Acuda, acuda, acuda a bandeira nacional.

Soldadinho
Sou soldadinho
Sou militar
De farda e bonezinho
Já sei marchar
Soldado não descansa
Dorme no chão
na hora da partida ele faz bim bom, bororom, bom, bom!

Pintinho amarelinho
Meu pintinho amarelinho
Cabe aqui na minha mão
Na minha mão
Quando quer comer bichinhus
Com seus pezinhus ele sisca o chão ( 2x )

Ele bate as asas
Ele faz piu-piu
Ma tem muito medo
É do gavião ( 2x )

O sapo
O sapo nao lava o pé.
Não lava porque não quer
Ele mora la na lagoa
Não lava o pé porque não quer
Mas que chulé.

Sapo cururu
Sapo Cururu
Na beira do rio
Quando o sapo canta, oh maninha
É porque tem frio

A mulher do sapo
Deve estar lá dentro
Fazendo rendinha, oh maninha
Para o casamento.

O sapo
O sapo, o sapo, na beira da lagoa
não tem, não tem, rabinho nem orelha
o sapo, o sapo, na beira da lagoa
não tem, não tem, rabinho nem orelha
ua, quá, quá
ua, quá, quá
ua, quá, quá, quá (bis)

Meu lanchinho
Meu lanchinho
Meu lanchinho
Vou comer
Vou comer
Pra ficar fortinho
Pra ficar fortinho
E crescer e crescer
E crescer e crescer

Minhoca
Minhoca, minhoca
Me dá uma beijoca
Não dou, não dou
Então eu vou roubar
Minhoco, minhoco
Você é mesmo louco
Beijou do lado errado
A boca é do outro lado

A cobra
A cobra não tem pé
A cobra não tem mão
Como é que cobra sobe num pezinho de limão
Vai escorregando vai, vai, vai
Vai escorregando vai, vai, vai

Janelinha
A janelinha fecha
Quando está chovendo
A janelinha abre
Se o sol está aparecendo
Pra lá, pra cá
Pra lá, pra cá, pra lá (Bis)
Abriu, fechou, abriu, fechou, abriu.
Pra lá, pra cá
Pra lá, pra cá, pra lá (Bis)

Guarda-chuva
O guarda-chuva abre
Quando está chovendo
O guarda-chuva fecha
Se o sol está aparecendo
Pra lá, pra cá
Pra lá, pra cá, pra lá (Bis)
Abriu, fechou, abriu, fechou, abriu.
Pra lá, pra cá
Pra lá, pra cá, pra lá (Bis)

Elefante
O elefante queria voar
A mosca disse você vai cair
O elefante teimoso voou
Voou, voou e caiu
Bummmmm, ai que dor no meu bumbum
Lalá, Lalá, Lalá, Lalá...
O elefante teimoso voou, voou, voou e caiu.

Palhacinho atrapalhado
Era um palhacinho, muito atrapalhado
Dava piruetas, fazia caretas
Sempre que pulava, a calça caia
Ele ria, ele chorava e o público aplaudia
Esse palhacinho, tinha um monociclo
Dava muitas voltas, ao redor do circo
Sempre que parava, a calça caia
Ele ria, ele chorava e o público aplaudia

Corre, corre,corre palhacinho
Segura, segura, segura essa calça
Só mais uma vez, só pra gente rir
Que palhaço mais engraçado, deixou ela cair

Pula, pula, pula palhacinho
Segura, segura, segura essa calça
Só mais uma vez, só pra gente rir
Que palhaço, mais engraçado, deixou ela cair

Bem no finalzinho da apresentação
O nosso palhacinho mexia o popozão
Sempre que dançava, a calça caia
Ele ria, ele chorava e o público aplaudia

Fui morar numa casinha
Fui morar numa casinha nha
Infestada da de cupim pim pim
Saiu de lá lá lá
Uma lagartixa xa
Olhou pra mim
Olhou pra mim e fez assim

Fui morar numa casinha nha
Infestada da de florzinha nha
saiu de lá lá lá uma princesinha nha
Olhou pra mim
Olhou pra mim e fez assim
(joga bjs)

Dona baratinha
Quem quer casar
Com a dona Baratinha
Tem fita nos cabelos
E dinheiro na caixinha.

Borboletinha
Borboletinha tá na cozinha
Fazendo chocolate para a madrinha
Poti, poti
Perna de pau
Olho de vidro
E nariz de pica-pau (pau, pau)

Indiozinhos
1,2,3 indiozinhos
4,5,6 indiozinhos
7,8,9 indiozinhos
10 um pequeno bote
Iam navegando pelo rio abaixo
Quando o jacaré se aproximou
E o pequeno bote dos indiozinhos
Quase vazio virou
1,2,3 indiozinhos
4,5,6 indiozinhos
7,8,9 indiozinhos
10 um pequeno bote
Iam navegando pelo rio abaixo
Quando o jacaré se aproximou
E o pequeno bote dos indiozinhos
Quase vazio virou
Quase vazio virou
Quase vazio virou
Mas não virou

Pombinha branca
Pombinha Branca, que está fazendo
Lavando roupa pro casamento
Vou me lavar, vou me trocar
Vou na janela pra namorar
Passou um homem, te terno branco
Chapéu de lado, meu namorado
Mandei entrar, mandei sentar
Cuspiu no chão, limpa aí seu porcalhão
Tenha mais educação
Limpa aí seu porcalhão
Tenha mais educação
Limpa aí seu porcalhão
Tenha mais educação

Jacaré guloso
O jacaré passeando na lagoa!
Foi por aqui! (batem palmas 3 x)
Foi por ali! (batem palmas 3 x)
Parou! Olhou! Abriu a boca e NHAC...!
Não comeu peixinho!
O jacaré passeando na lagoa!
Foi por aqui! (batem palmas 3 x)
Foi por ali! (batem palmas 3 x)
Parou! Olhou! Abriu a boca e NHAC...!
Comeu peixinho!
JACARÉ GULOSO, JACARÉ GULOSO!

Jacaré poiô
Eu sou, eu sou, eu sou
Sou o jacaré poiô (2x)
Sacode o rabo jacaré, sacode o rabo jacaré
Sou o jacaré poiô (2x)

Dois patinhos
Dois patinhos na lagoa
começaram a nadar, a nadar
quando viram uma minhoca
começaram a puxar
Puxa pra cá
Puxa pra lá
cuidado pra minhoca não arrebentar.

Pintinho fujão
Pintinho, pintinho
Correu, fugiu
Pisou na lama
Escorregou, caiu
Dona galinha
Toda assustada
Pegou o pintinho
E deu umas palmadas

A História da Serpente
Esta é a história da serpente
Que desceu do morro
Para procurar um pedaço do seu rabo
Você também,você também,
Faz parte do seu rabão
Esta é a história da serpente
Que desceu do morro
Para procurar um pedaço do seu rabo
Você também, você também,
Faz parte do seu rabão

Patinho na chuva
Já está chovendo
Na chuva vou brincar
Sou o patinho e quero me lavar
Qua-qua-qua-qua-qua-qua-qua
Chuva é pra pato
Que pode se molhar
Ah!Você menino
Não vá fazer assim
Se entrar na chuva
Logo é athichim!
Qua-qua-qua-qua-qua-qua-qua
Se entrar na chuva
Logo é athichim!

Motorista
Motorista, motorista
olha apista, olha a pista
não é de salsicha, não é de salsicha (Há há há)
Cobrador,cobrador
olha o troco,olha o troco
está tudo errado, esta tudo errado(há há há)
Motorista,motorista
olha o poste, olha o poste
Não é de borracha,não é de borracha
faz dodói, faz dodói.

Abóbora
De abóbora faz melão
De melão faz melancia (bis)
Faz doce,Shinhá, faz doce, Sinhá
Faz doce de maracujá
Quem quiser aprender a dançar
Vai na casa do seu Juquinha(bis)
Ele pula, ele roda,
Ele faz requebradinha(bis)

Recreio
Quando chego do recreio
Cansadinho de brincar
No tapete eu me sento
Pra que eu possa descansar.
Daí eu fecho os meus olhos
E começo a sonhar
Que esse é meu mundo de sonhos
E nele eu quero estar.
Vejo bruxas e duendes,
Vejo fadas e dragões,
Vejo flores alegrando
Os nossos corações.

A história da cabana
Na cabana da floresta
morava uma linda garotinha
um coelhinho bateu na porta
pedindo ajuda:

- socorro! socorro, por favor!
- estou fugindo do caÇador!
- coelhinho pode entrar, que eu vou te salvar

Alecrim
Alecrim, Alecrim dourado
Que nasceu no campo
Sem ser semeado
Alecrim, Alecrim dourado
Que nasceu no campo
Sem ser semeado
Foi meu amor
Que me disse assim
Que a flor do campo é o alecrim
Foi meu amor
Que me disse assim
Que a flor do campo é o alecrim

Boi da Cara Preta
Boi, boi, boi
boi da cara preta
pega este menino
que tem medo de careta
Não, não, não,
Não pega ele não
Ele é bonitinho
Ele chora coitadinho.

Eu sou um coelhinho
De olhos vermelhos
De pêlo branquinho
Dou saltos bem altos
Eu sou um coelhinho
Comi uma cenoura
Com casca e tudo
Ai que ela era tão grande
Que eu fiquei barrigudo
Dou saltos pra frente
Dou saltos pra traz
Eu sou um coelhinho
Que de tudo sou capaz
Coelhinho da Páscoa
Coelhinho da Páscoa,
Que trazes pra mim?
Um ovo, dois ovos,
Três ovos assim.
Coelhinho da Páscoa,
Que cor eles têm?
Azul, amarelo e vermelho também,
Azul, amarelo e vermelho também!

Coelhinho Bossa Nova
Eu sou coelhinho Bossa Nova
Vou contar para vocês
Prá cenoura não dou bola
Eu só tomo Coca-Cola
Coelhinho Bossa Nova
É uma brasa, mora
Chorar por uma cenourinha nha – nha
Foi no tempo da vovó
Prá cenoura não dou bola
Eu só tomo Coca-Cola
Coelhinho Bossa Nova
É uma brasa, mora.

Papai Noel
Quem é que não conhece
Aquele bom velhinho
De bigode e barba branca
Colete vermelhinho.
No Natal ele aparece
Traz presentes de montão
Você sabe quem é ele?
Ele é o papai Noel.
Feliz natal, feliz natal
É o que desejamos ao papai, a mamãe
A todos que amamos.

Sapatinho de Natal
Deixei Meu Sapatinho, Na Janela Do Quintal.
Papai Noel Deixou, Meu Presente De Natal.
Como É Que Papai Noel, Não Se Esquece de Ninguém.
Seja Rico Ou Seja Pobre, O Velhinho Sempre Vem.
Seja Rico Ou Seja Pobre, O Velhinho Sempre Vem.

Bate o Sino
Hoje a noite é bela
Vamos à capela
Sob a luz da vela
Felizes a rezar
Bate o sino pequenino
Sino de Belém
Já nasceu Deus menino
Para o nosso bem
Paz na Terra pede o sino
Alegre a cantar
Abençoe Deus menino
Este nosso lar
Ao soar o sino
Sino pequenino
Vai o Deus menino
Nos abençoar

CULMINÂNCIA DO PROJETO: APRESENTAÇÃO DO TEATRINHO - AS TRAVESSURAS DE SACI.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens antigas

Link-me 2

Link-Me


Em qual área da educação que você trabalha?

Prometo:

Prometo valer-me do conhecimento que me foi dado como instrumento de mudança e construção de um mundo onde o homem possa realizar-se com liberdade. Prometo, no exercício de minha profissão, enfrentar os desafios que a educação me propõe, com criatividade, perseverança e competência, buscando novos caminhos para o processo educacional. Prometo envolver-me com meus alunos no espaço que existe entre teorizar e viver a prática, porque acredito ser nesse espaço que educadores e educandos se encontram e se transformam mutuamente. Prometo não isolar no gabinete da Administração Escolar, mas dele partir para uma realidade mais abrangente, em que eu possa enxergar o homem no seu contexto social e político e que o meu trabalho na educação tenha um sentido justo, observando sempre os dispositivos legais e éticos da profissão.

 

Cantinho das Sugestões. Copyright © 2009 Cookiez is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template